Especiarias do Chá

TAP: Novo aplicativo lançado pela plataforma Wattpad.

por Jessica Hass

O TAP como citado no título acima é ao mais novo aplicativo criado pela mesma empresa de Allen Lau e Ivan Yuen que criou o wattpad e lançou em fevereiro de 2017.

O TAP é um aplicativo de histórias em forma de chat totalmente gratuito. Nele você tem a possibilidade de escrever diálogos como se estivesse escrevendo mensagens e mandando para alguém.

Para usá-lo você precisa de uma conta de e-mail. Logo depois da conta criada você pode começar a publicar sua história, caso essa for à intenção. Ela precisara de uma capa e uma descrição, assim como o título. Depois disso, mão na massa.

Esse aplicativo possui uma tela inicial com os destaques mais tocados pelos usuários, intitulado "Top Picks", no canto superior esquerdo da tela temos um botão com as categorias das histórias, divididas em: Romantic, Scary, Dramatic, Magical, Mysterious, Unbelievable, Funny e Suspenseful. No canto superior direito temos seu perfil, e junto dele tem o número de toques que você deu, junto das suas histórias, caso tenha, as histórias que está lendo no momento e por fim as concluídas.

Concluindo, o aplicativo vem recebendo vários feedbacks positivos dos brasileiros, no entanto a pouca opção de histórias em português vem deixando leitores um tanto descontentes. Atualmente um dos primeiros a publicar no TAP é o escritor e embaixador da plataforma Wattpad no Brasil, Felipe Sali, autor de Mais leve que o ar, disponível a venda e no Wattpad, outro escritor famoso que aderiu a novidade é Marcus Barcelos, também embaixador do Wattpad e autor do livro de terror Horror na colina Darrington, disponível a venda.

Esse novo aplicativo vem sendo uma arma a favor dos autores do Wattpad, que podem usá-lo como uma ferramenta de divulgação, para colocar os diálogos dos personagens e aumentar a interação através de uma nova ferramenta.

Espero que tenha sido instrutiva a matéria e façam bom proveito do TAP. Eu usei e aprovei. 

20 Fatos sobre Cinthia Basso

Por Cigana Sheri e Bianca Castigliola


As queridas Cigana Sheri e Bianca Castigliola fizeram uma homenagem fofa para nossa talentosa Cinthia Basso, uma das administradoras do Chá das Seis, no livro O Sequestrador, cuja estória você pode acompanhar no Wattpad, através do perfil @BiancaCastigliola. 

Aliás, O Sequestrador é uma dica para você que busca uma leitura leve e divertida. A participação dos leitores através da menção de seus nomes como personagens é uma atração à parte. 


• 1 - Ela é conhecida por Ci ou Chica.

• 2 - Faz niver no dia 24 de Janeiro (anotado aqui).

3 - Além de escritora, é a engenheira mais gata do Brasil!!

• 4 - É maluquete de carteirinha.

• 5 - Adora chocolate.

• 6 - Adora praia e gosta de inverno.

• 7 - Adora interagir com as leitoras.

• 8 - Adora Einstein.

9 - Sonha em viajar pelo mundo.

• 10 - É fã de basquete e tirou daí a inspiração para escrever "Meu astro do basquete."

• 11 - É baixinha, mas se torna uma gigante toda a vez que está com raiva! Kkkk

• 12 - Fez uma tattoo em homenagem a história "Alice no país das maravilhas."

• 13 - É verdadeira nas suas opiniões.

• 14 - Tem o wattpad inteiro na biblioteca!

• 15 - Está iniciando a sua jornada na Amazon!

• 16 - Uma autora que narra com atitude e opinião própria. Se sobrepõe com sua narrativa emocionante e divertida.

• 17 - Faz parte do grupo de elite do Chá das Seis!!!

• 18 - Aprendi recentemente que ela dramatiza melhor do que EU!!!

19 - Não deixa a emoção falar mais alto do que a razão e mesmo assim, nos emociona com os seus livros.

20 - Amiga, sincera, companheira, determinada, humilde, inteligente, gatosa, divosa e lacradora!

As Guerreiras da Literatura

por Natália Chimenez

Hoje não é somente o dia internacional das mulheres, é o dia de guerreiras, que de sol a sol, lutam.

Gostaria de apresentar a vocês alguns livros, que mostram toda nossa coragem, beleza e fortaleza! Aqui trazemos do clássico ao atual, demonstrando a luta das mulheres durante os séculos. 

Espero que gostem da lista de livros que preparei para vocês!


  • Primeiramente, temos Jane Austen, que tinha um pensamento muito adiantado para sua época, mostrando em suas personagens femininas como Elizabeth Bennet de Orgulho e Preconceito, que uma mulher primeiramente deveria amar a si mesma, e não aceitando nada menos do que o amor em retorno a seus sentimentos. Jane nasceu no século XVIII, uma época em que mulheres escritoras, não eram bem vistas pela sociedade. Temos também o exemplo de Amor e sensibilidade, Persuasão, Emma, entre tantos outros, comece pelos livros de época e encontrará neles o ponto de ignição para se inspirar!
  • Jane Eyre de Charlotte Bronte, romance lançado em 1847, possui como personagem principal uma mulher pobre e feia_ o oposto dos livros da época_ e além disso, ela se torna dona de sua própria vida, indo em busca de seus desejos profissionais e sentimentais.
  • A mística feminina de Betty Friedan, o nome lhe soa familiar? Pois é, é o mesmo livro citado no filme Dez coisas que odeio em você! Um livro escrito no ano de 1963, que desmonta o mito da dona de casa feliz pós-guerra, que tinha se proliferado pelos meios de comunicação.
  • Sobrevivi, posso contar de Maria da Penha. Lançado em 2010, o livro relata a vida da autora que sofreu uma cruel, dolorosa e covarde violência. Maria da Penha oferece sua história generosamente a sociedade, como uma forma de contribuir com transformações urgentes, pelos direitos das mulheres a uma vida sem violência.
  • A cor púrpura de Alice Walker. O livro narra a comovente trajetória de uma mulher negra, na racista América no início do século XX. A cor púrpura é um romance feminista sobre a força e a dignidade do espirito humano.
  • O conto da Aia de Margareth Atwood. A história tem como cenário uma republica onde não existem mais jornais, revistas, livros, nem filmes, tudo fora queimado. Nesse estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito especifica no Estado. Com esta história, o leitor ira refletir sobre liberdade, direitos civis, poder, a fragilidade do mundo tal como o conhecemos, o futuro e principalmente, o presente.
  • Americanah de Chimamanda Ngozi Adichie. Principal autora nigeriana de sua geração, parte de uma história de amor para debater questões prementes e universais como imigração, preconceito racial e desigualdade de gênero. Bem-humorado, sagaz e implacável, Americanah é, além de um romance arrebatador, um épico contemporâneo.
  • Não sou uma dessas de Lena Dunhan. Já conhecida por ser atriz e roteirista da série Girls da HBO, Lena, desabafa sobre temas como amor, sexo, solidão, e as lutas para fugir de dietas malucas e aceitar, contando experiências que a conduziram a vida adulta.
  • Eu sou Malala de Malala Yousafzai. A historia de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito a educação feminina e os obstáculos a valorização da mulher em uma sociedade que privilegia filhos homens.

  • Ana Karenina de Liev Tolstói. Uma paixão proibida nasce de apenas um olhar, e caminha gradualmente para um desfecho impactante. Conflitos de uma relação corroída e outra idealizada e oprimida pela sociedade.
  • E o vento levou de Margaret Mitchell. A jovem Scarlett O'Hara, de uma família sulista poderosa, perde toda a riqueza, luxo e conforto como consequência da Guerra da Secessão que divide o norte e o sul dos Estados Unidos.
  • Alice no Pais das Maravilhas de Charles Lutwidge Dodgson. Alice é uma corajosa menina que durante um passeio observa espantada a passagem de um coelho aristocrata. Ao perseguir o coelho, ela chega ao Pais das maravilhas, num misto de sonho e pesadelo. O autor usa da simbologia e da fantasia para criticar a sociedade de sua época.
  • Gabriela - Cravo e Canela de Jorge Amado. Gabriela é uma jovem que transita na sociedade cacaueira de Ilhéus, entre coronéis, jagunços, prostitutas e trambiqueiros. Desperta a paixão do árabe Nacib, a inveja das mulheres, a cobiça dos homens.
  • Madame Bovary de Gustave Flaubert. Pioneiro dos romances realistas, o livro fala sobre Emma, uma moça criada no campo, mas com sonhos burgueses. Por isso, se casa com Charles Bovary, um medico apaixonado por ela. Mas Emma, procura outros homens para satisfazer seus desejos. No cinema, é dona de uma das cenas mais eróticas, onde sem nudez, mostra uma carroça balançar, deixando o espectador imaginar o que estivesse acontecendo.
  • As crônicas do gelo e do fogo de RR Martin. Um reino de fantasia retrata, de forma realística, as relações de poder entre famílias conflituosas como se a trama fosse ambientada na Idade Média. Com diversos personagens marcantes e fortes, mesmo entre homens e mulheres.
  • Os homens que não amavam as mulheres de Stieg Larsson. O tema da violência sexual contra as mulheres deve-se ao fato do escritor, enojado, testemunhou o estupro coletivo de uma jovem quando ele tinha 15 anos.
  • Jogos Vorazes de Suzanne Collins. Num cenário distopico, a jovem de dezesseis anos, Katniss Everdeen vive em Panem, controlado pela capital que anualmente realiza os Jogos Vorazes, onde jovens representando cada distrito são forçados a participar de um reality show em que lutam até a morte. Apenas um sendo o vencedor.
  • Agatha Christie, a autora só vendeu menos que William Shakespeare, e em cada obra faz seu coração parar, demonstrando porque é a rainha do crime.
  • Harry Potter. J. K Rolling. A autora desmistificou que adulto não lê livros infanto-juvenil, além do mais, criou a poderosa Hermione Granger, que desmistificou que apenas bruxos eram bons, feiticeiros.

Se você acha que faltou algum livro nesta lista, entre em contato conosco, estamos aqui para ouvi-los e ajudá-los!

Feliz dia internacional das mulheres a todas as mulheres!!!!

Perfumes de Mulher

Por Diane Bergher

Diz a bíblia que Eva foi feita da costela de Adão. As feministas de plantão dirão que é machista ao extremo tal concepção. Os machistas, por sua vez, ressaltarão a superioridade do homem. Eu, ao contrário, o faço diferente: toda obra divina e perfeita nasce da lapidação. Sim, somos perfeitas e divinas aos olhos do nosso criador; somente o aperfeiçoamento a partir de algo bruto seria capaz de gerar o sagrado feminino.

Em tempos antigos, tão antigos que os registros são esparsos, a mulher era o símbolo do sagrado. Tribos primitivas exaltavam a mulher como divina e fecunda, símbolo da fertilidade e do renascimento. Somente a mulher sangra todo mês e não morre, quer maior exemplo de força.

Passamos pela idade das trevas e fomos condenadas às fogueiras. Àquilo que outrora era considerado sagrado, passou a ser tido por profano. Fomos relegadas às prendas domésticas como se tivéssemos nascido apenas para isso. Poucos entendem que sim, é de nossa natureza o cuidado com tudo que está a nossa volta, cuidamos e zelamos por amor e não precisavam ter nos trancafiado dentro de uma casa e muito menos nos obrigado ao casamento e aos filhos, faríamos isso por amor, escolheríamos isso se nos tivessem dado a oportunidade para tanto.

Mas queríamos mais! Queríamos ser médicas, advogadas, jornalistas, engenheiras, professoras, queríamos dirigir, votar e ter um emprego que nos permitisse escolher nossos destinos. E fomos à luta. Os tempos modernos exigiram de nós mulheres posturas ativas, firmes e convictas. Não fraquejamos, em nenhum momento. Fomos a retaguarda de nossos homens, quando eles precisaram lutar em guerras ou desastres, fomos a voz de nossas crianças quando ninguém as ouviam. Exigimos nossos direitos para que outras mais jovens pudessem ler e escrever.

Que minha geração e as próximas se espelhem nas mulheres do passado para fazer jus às conquistas e que se inspirem em sua determinação para amar sem limites, sacrificar por uma causa maior e acreditar num mundo mais justo e melhor.

Parabéns para nós mulheres, que nosso perfume delicado e virtuoso se espalhe pelo mundo!

Distopia 

por Jéssica Hass

Tirando um tempinho neste sábado, resolvi começar uma pequena matéria a respeito do gênero distópico. A distopia é nada menos que o oposto da palavra utopia. Ela basicamente retrata uma sociedade apocalíptica e futurista, onde determinado grupo menos favorecido, vive em situações extremas de desespero, opressão, privação. Este gênero tem como objetivo criticar as tendências da sociedade e alertar sobre o futuro.

Agora depois de esclarecido o que é a distopia, vamos falar dos principais autores deste gênero. Para começo de conversa, irei citar o talentoso Anthony Burgess um dos pioneiros no gênero, junto de outros autores consagrados como: Aldous Huxley, George Orwell, Ray Bradbury e William Gibson, que escreveram os maiores clássicos distópicos dos últimos tempos.

Deixando um pouco de lado os autores dos clássicos, não posso deixar de falar sobre distopia sem citar os autores atuais, que estão fazendo sucesso no meio literário. Nada melhor do que começar, citando Suzanne Collins, uma das principais autoras atuais com a Trilogia Jogos vorazes, junto também de outros autores como: Veronica Roth, Lauren Oliver, Lissa Price, James Patterson e Philip K. Dick.

Para fechar esta matéria com chave de ouro, nada melhor do que citar alguns dos melhores livros. Confira a seguir a lista:

  • Laranja mecânica _ Anthony Burgess.
  • Admirável mundo novo _ Aldous Huxley.
  • Neuromancer _ William Gibson.
  • Fahrenheit 451 _ Ray Badbury.
  • 1984 _ George Orwell.
  • A máquina do tempo _ H. G. Wells.
  • Nós _ Yevgeny Zamyatin.
  • Trilogia Jogos vorazes _ Suzanne Collins.
  • Trilogia Divergente _ Veronica Roth.
  • Lissa Price _Série Starters

Os melhores hots do Pedaço

Por Jéssica Hass


Na onde da estreia de 50 Tons Mais Escuros, o Chá das Seis preparou uma lista imperdível com indicações de romances eróticos que tem feita a cabeça da mulherada. 

Confere abaixo! 

Em versão física

* Função CEO: A descoberta do prazer _ Tatiana Amaral.
* 7 dias com você _ Aline Sant' Ana.
* O inferno de Gabriel _ Syvain Reynard.
* Toda sua _ Sylvia Day.
* 23 noites de prazer _ Julianna Costa.
* Peça-me o que quiser _ Megan Maxwell.
* Zane _ Patrícia Rossi.
* O safado do 105 _ Mila Wander.
* A garota do calendário _ Audrey Carlan.
* Belo desastre _ Jamie Mcguire.


No Wattpad

* Malícia _ Julianna Costa.

* Arlequim _ Dark Gero.

* Pretty Fucking Dope _ Bianca Baldassin.

* A fera _ Lilian Guedes.

* O devasso mora ao lado _ Kenya Garcez. 

Érico Veríssimo

Por Diane Bergher

Hoje, tirei um tempinho para falar do meu autor favorito de todos os tempos, o gaúcho Érico Veríssimo. Eu sou uma aficionada pelas obras do Érico, daquelas que já leu praticamente todos os seus livros.

Foi com Érico que descobri o vício pelas séries, o que é um tanto peculiar para a época em que a estórias do autor foram escritas. Poucos sabem que Clarissa (1933), Música ao Longe (1936), Um Lugar ao Sol (1936) e Saga (1940), na atualidade, poderiam fazer parte de uma série. Mas foi Com Olhai os Lírios do Campo que eu literalmente caí de amores pelo autor. Foi o livro que impulsionou a carreira literária de Érico, sendo traduzido para várias línguas. Inspirado na passagem bíblica conhecida como o Sermão da Montanha, a obra retrata os encontros e desencontros de um casal apaixonado. As passagens são tão lindas que me emocionam até hoje. É claro que não poderia deixar de mencionar o maravilhoso O Tempo e o Vento, muitas vezes adaptado para o cinema e televisão, considerado um dos grandes clássicos da literatura brasileira.

Em sua estadia em Porto Alegre, quando trabalhou como secretário de redação da Revista do Globo, Érico conviveu com intelectuais como Mário Quintana, um dos maiores poetas brasileiros. Só isso nos dá uma ideia da dimensão da genialidade do escritor. 

Os enredos criados por Érico Veríssimo são simples e é justamente a simplicidade na narrativa que nos encanta. Por outro lado, o autor explora muito bem os contornos da natureza humana. Suas personagens são muito bem construídas, o que torna seus livros emocionantes.

Érico era um grande observador do cotidiano e um grande crítico de sua obra. Olha só o que falou sobre Um Lugar ao Sol: "Considero o elenco humano que povoa este livro o melhor de toda a minha obra, com exceção talvez de O Tempo e o Vento. Escrevi sobre essa gente com tanta afeição e interesse, com tamanha fé na sua existência, que acabei cometendo o pecadilho de todo o pai vaidoso para qual tudo quanto os filhos dizem e fazem merece ser contado ao mundo."

Judith McNaught

Por Diane Bergher

Depois que fui entrevistada e coloquei Judith McNaught entre minhas autoras favoritas, tenho recibo várias mensagens me perguntando quem é a Judith. Gente, como assim, não conhecem a diva do romance histórico? Mas é compreensível! Diferentemente de outras autoras do gênero, os livros da Judith não vieram para o Brasil com capas lindíssimas como as da Julia Quin ou Lisa Kleypas. Talvez, por isso, ela não seja tão conhecida quanto suas colegas. A Judith já vendeu mais de 30 milhões de cópias de seus livros, para falar a verdade, a Judith já arrebentava quando eu ainda era criança. Para se ter uma ideia Whitney, Meu Amor, seu primeiro best-seller foi lançado pela primeira vez em 1985. Eu a considero a diva master do romance histórico.

O primeiro livro que li da Judith foi Um Reino de Sonhos e foi amor na primeira página lida. Depois foi a vez de atacar Whitney, Meu Amor, outro dos meus queridinhos e quando eu vi, já tinha devorado toda a Série Westmoreland.

Alguns dos livros da Judith foram lançados recentemente aqui no Brasil pela Grupo Editorial Record. As primeiras edições são consideradas raras e, quando as encontramos em sebos, precisamos desembolsar uma certa graninha para tê-las em nossas prateleiras.

Vale a pena conferir o trabalho magnífico da Judith. Com certeza, vocês saíram suspirando por aí.

Outro dia, volto para falar de Érico Veríssimo. 


Como publicar seu Livro na Amazon

Por Cinthia Basso


Bom, muitas pessoas querem publicar um ebook através da Amazon, até mesmo por ser uma das opções mais viáveis para os autores iniciantes. Agora o que muitos não sabem é como o fazer e acabam desistindo na primeira dificuldade. Tendo em vista isso, optamos por fazer alguns passos fáceis e dinâmicos para que todos possam entender o processo e colocá-lo em prática. 


Revisar seu livro

Você tem que saber que as pessoas não gostam de ler livros não revisados e eles muitas vezes não atingem um número considerável de leitores devido a isso. Então o essencial é revisá-lo de forma que a leitura seja o mais prazerosa possível. Algumas pessoas oferecem serviço de revisão por um preço totalmente acessível, nos dando a oportunidade de acabar com aqueles "errinhos" que teimam em passar batidos.

Capa livre de direitos autorais ou com direitos adquiridos pelo autor

O que também é considerado essencial na publicação, visto que uma capa com direitos de imagem de outra pessoa podem gerar processos, algo totalmente desconfortável para o autor. Por isso, seja consciente e evite isso. Compre os direitos ou utilize imagens livres deles. Você pode até mesmo comprar uma capa, assim como a revisão, há várias pessoas que vendem capas como um meio de trabalho, apenas se certifique de que ela compre as imagens ou que não tenha direitos autorais.

Diagramação

Todos ouvem essa palavra, mas não sabem ao certo o que ela significa. Diagramar é praticamente o ato de paginar, distribuir todos os elementos que irão fazer parte da página de forma que fiquem devidamente espaçados e com número correto de palavras. Mantém a ordem visual da página, sendo dessa forma um design gráfico de seu livro. Como os citados anteriormente também há pessoas que vendem esse serviço, o que ajuda o autor que não o saiba fazer de forma correta.

ISBN (International Standard Book Number)

Não é obrigatório, mas é muito recomendável. É o número de publicação do seu livro, você pode criar um tanto para versão impressa como para e-book, como disse não é obrigatório, mas é sempre bom tê-lo. Podem haver cobranças para obter esse número e para verificar tudo de forma correta você pode acessar o site da Agência Brasileira de ISBN, o que facilitará o seu entendimento e obtenção do mesmo. Após saber mais sobre isso, pode solicitá-lo através da própria página da agência. Fácil e rápido.

KPD (Kindle Direct Publishing)

Cadastre-se antes ou depois dos passos que citei, não necessariamente nessa ordem e coloque todos os seus dados, assim como os dados bancários para receber os royalties das vendas do seu e-book.

Publicando seu livro

Dados do livro- irá acessar uma página onde são necessários todos os dados do livro, Título, Autor, editoras, entre outras informações, além de fazer a pré-visualização do seu arquivo, para verificar se tudo está de forma correta. Sendo que o arquivo do livro não deverá conter a capa, a capa você envia de forma independente do texto, mas na pré-visualização você consegue verificar como as pessoas irão ler seu livro, o que já facilita e muito. E ainda nesta etapa, no topo da tela, será disponibilizada a opção de cadastrar seu livro no Kindle Select, o que automaticamente o coloca disponível para o Kindle Unlimited, elevando a taxa de royalties de 35% para 70% pagos a você. Lembrando que participando desse programa, seu livro não poderá ser comercializado em qualquer forma ou site além da Amazon brasileira e mundial.

Direitos e Preços

Você definirá onde seu e-book será comercializado e o preço que será cobrado por ele.

Bom, esses passos são os essenciais para você conseguir publicar seu e-book de forma independente e fácil. Basta segui-los e qualquer dúvida baixar o livro "Preparando seu livro para Kindle/ ebook", disponibilizado gratuitamente pela Amazon, facilitando dessa forma a vida de muitas pessoas que desejam ingressar nesse tipo de venda. Caso sinta necessário pode entrar em contato conosco que iremos auxiliá-la (o) da melhor forma que pudermos.