Nanna Dias

13/09/2017

Nanna Dias é carioca, leitora voraz e apaixonada por personagens românticos, corajosos e independentes. Não desgruda de livros e gosta de lê-los ao som de uma boa playlist. Ama passar horas com a família e encontra inspiração em tudo o que vê. Formada em Turismo, adora planejar vários tipos de viagens, ainda que não tenha tido a oportunidade de realizar a maioria. Um dia pretende ter a energia contagiante e a vivacidade das personagens de sua autora favorita, Jane Austen.

O Chá das Seis teve o prazer de conversar com a linda Nana! Confira abaixo a íntegra da entrevista

Chá das Seis: Quem é a Nanna Dias? Seus gostos, passatempos, etc.

Nanna: Sou péssima em me definir, mas vamos lá! Sou uma pessoa bem tranquila, não tenho um único passatempo, eu gosto de ler, assistir séries de televisão, criar capas e principalmente escrever. Eu meio que vou fazendo o que me dá na telha, desde ouvir música até tentar aprender uma dança no youtube.

Chá das Seis: Quando e como você percebeu que queria se tornar uma escritora?

Nanna: Eu decidi que queria ser escritora aos tinha doze anos quando li os livros do Pedro Brandeira, porque eu também senti a necessidade de poder tocar as pessoas e transportá-las a lugares que só existiam na minha imaginação, assim como os escritores faziam comigo. Meio bizarro pra minha idade, mas eu também nunca achei que isso iria acontecer de verdade. Era meio que um sonho, sabe? Uma vontade. Então, quando fiz quatorze anos, eu bolei um romance policial na cabeça e comecei a passar a história pro papel, e foi aí que eu percebi que podia um dia publicar livros e seguir nessa carreira.

Chá das Seis: Onde você busca inspiração para construir suas histórias e personagens?

Nanna: Em tudo. Eu não tenho uma fonte de inspiração específica e nem procuro por uma. Na verdade elas vêm do nada, em pequenas coisas do dia a dia.

Chá das Seis:Você é uma apaixonada por Jane Austen. A escritora lhe influenciou ao escrever Bem-vinda à Austrália?

Nanna: Sim! O personagem Luke é uma versão mirim e longínqua do Mr. Bingley, por assim dizer. Fora que tem muita referência à autora no decorrer do livro, simplesmente por que eu não consegui não fazê-lo.

Chá das Seis: Bem-vinda á Austrália é um grande sucesso no Wattpad e vencedor do prêmio The Wattys 2016. Conte-nos o que sentiu ao ver seu livro entre um dos vencedores.

Nanna: Não acreditei. Eu fiquei olhando pra tela do meu celular por uns cinco minutos antes de cair a ficha. E mesmo assim, quando uma amiga minha que também é escritora veio me parabenizar pelo prêmio, eu ainda estava incrédula.

Chá das Seis: Ouvimos rumores de que Bem-vinda à Austrália poderá ser publicado. O que pode nos adiantar a respeito?

Nanna: Bem, isso ainda é um assunto delicado. Mas estou trabalhando fortemente para que o livro chegue às prateleiras de minhas leitoras o mais rápido possível. Posso adiantar que haverá algumas cenas que não estão disponíveis na versão do Wattpad.

Chá das Seis: O Momento Perfeito é sua mais nova obra a ser escrita no Wattpad. O que o leitor pode esperar dessa nova história?

Nanna: Muitas risadas e loucuras da personagem principal. O Momento Perfeito tem uma pegada mais adulta e Luana é uma garota quase sem filtro, que fala o que quer e não tem medo de ser quem é. Ela é uma mulher independente em busca de se manter no emprego perfeito, feminista, uma amiga incrível e que defende muito seus princípios. Além disso tudo o livro trás bastante romance.

Chá das Seis:Qual sua opinião sobre o mercado literário nacional?

Nanna: Acho que finalmente as editoras estão começando a enxergar o nosso talento como escritores nacionais. Nossa aparição no mercado editorial vem crescendo cada vez mais, e tem muita gente boa aí fora produzindo conteúdos bacanas e que merecem ser vistos. Só acho um pouco triste que as grandes editoras ainda tenham muito preconceito com o que é nosso e prefiram buscar nomes estrangeiros. Mas o jogo está começando a virar e espero que não demore muito pra que esse preconceito termine de vez.

Chá das Seis: A Nanna escritora tem alguma mania ou ritual na hora de escrever?

Nanna: Sim haha Nunca tinha pensado ser uma mania, mas agora que perguntou, caiu a ficha. Eu costumo escrever com uma página de sinônimos aberta e uma música tocando no youtube ou na minha televisão. Se não tiver essas duas coisas, eu tenho bloqueio e a história não anda.

Chá das Seis: Qual o seu maior sonho como escritora?

Nanna: Mudar a vida de alguém (e é algo que eu tenho realizado. Muitas leitoras me procuram pra dizer que meu livro ensinou sobre perdão, sobre união familiar, e isso é incrível demais). Quero conseguir traduzir meus livros pra todas as línguas existentes no mundo. E que um dos meus livros vire filme também haha Ok, é só isso.

Chá das Seis: Quais são seus próximos projetos?

Nanna: Por enquanto eu não penso em projetos futuros. Estou escrevendo O Momento Perfeito e pretendo publicar Bem-vinda à Austrália. Depois disso, eu ainda tenho mais dez livros guardados pra dar vida. No momento eu só tenho uma lista e irei riscando as histórias conforme eu for escrevendo.