Nana Simons

11/09/2017


Ela tem fases como a lua, como já dizia o poema de Cecília Meireles; apreciadora dos gibis da Turma da Mônica quando criança; apaixonada por crianças e um jovem talento que desponta no Wattpad. Ela é Nana Simons.

O Chá das Seis teve o prazer de conversar com a querida autora de No Berço da Máfia.

Chá das Seis: Me fale um pouco sobre, quem é Nana Simons?

Nana: Tenho 20 anos, sou apaixonada por crianças, moro em São Paulo, sou cem por cento de lua, amo minha família, museus, bibliotecas, ir a shows e estou sempre escrevendo. Nana Simons é basicamente isso (risos).

Chá das Seis: Seus livros do wattpad encaixam-se no gênero romance dark, envolvendo a máfia italiana. Diga-nos, qual foi o ponto de ignição, o que a inspirou a começar a escrever sua quadrilogia?

Nana: Eu sempre fui fissurada em tudo o que é considerado "fora dos padrões". Desde livros, até filmes. Quando comecei a ler romances, eu sempre ia naqueles água com açúcar, que era o que todo mundo geralmente lia e achava lindo e tudo o mais. Só que eu não conseguia chegar nem na metade da leitura, era muito leve, muito previsível. Até o dia que assisti "3096 Dias", o filme que conta a história do cativeiro da Natascha Kampusch. Fiquei louca. Li o livro, depois comecei a ler todos os thriller psicológicos que via pela a frente. Essa temática me encantou. Dai eu entendi que meu campo tanto na leitura quanto na escrita era algo mais sombrio. Histórias que nem todo mundo aceita e gosta de ler. Todos esses livros me inspiraram a querer contar a história dos personagens da Série, que no caso, é um mais "perturbado" que o outro (risos).

Chá das Seis: Seu livro " O monstro em mim" está sendo um sucesso na plataforma wattpad, conte-nos o que sentiu ao ver seu livro ganhando cada dia mais leitores?

Nana: Se eu disser que não imaginei tudo isso, estaria mentindo. Eu imaginava como seria e sonhava com isso, mas ver acontecer é totalmente diferente. Eu comecei na plataforma em Dezembro de 2016, não tenho nem cinco meses e já conquistei tanto... é meio surreal. Mas estou nas nuvens de felicidade.

Chá das Seis: Como começou sua história como escritora?

Nana: Eu sempre li demais, desde aqueles livrinhos de papagaio do palmeiras, até os gibis da turma da Mônica. Minha mãe tem cadernos de poema e poesias, eu peguei um para ler quando tinha uns treze ou quatorze anos e gostei. Daí comecei a escrever naquelas comunidades do Orkut, era uma web novela chamada "Era Apenas meu primo" (risos).

Chá das Seis: De onde surgem ideias para os avatares e composição dos personagens em suas historias?

Nana: Eu amo clássicos. Do cinema, da literatura, da música. E meus personagens são uma mistura de tudo isso. Luigi, Dante e Lucca, que são os principais da série, foram fruto da minha paixão pela a máfia (distorcido, eu sei), mas foi assim. Eu amo "Os Bons Companheiros", a trilogia do filme "O Poderoso Chefão", "O Grande Gatsby", "O Lobo de Wall Street", "Scarface", "Cassino", "Onze Homens e um Segredo" e 9s chefões desses filmes me ajudaram a criar cada um dos meus mafiosos. Só de falar da vontade de assistir de novo.

Chá das Seis: Como e a sua relação com os leitores de "No berço da máfia"?

Nana: Eu me vejo mais apaixonada a cada dia por cada uma/um. Quando atualizo o capítulo e começam a chegar as notificações, eu vou reconhecendo os nomes de quem comentou e votou, e já começo a rir só de imaginar o que elas comentaram. Nem sempre consigo responder, porque não uso o aplicativo, e responder pelo o celular é complicado. Mas nós conversamos no privado, e interagimos pelo o Facebook. Minhas leitoras são incríveis, meus livros não teriam tomado tamanha proporção se não fosse por elas. As amo muito!

Chá das Seis: Que conselho daria a àqueles que desejam começar a escrever?

Nana: Não sei bem que tipo de conselho dar. Não sou nenhuma super autora da vida (risos), mas essa Série da Máfia não foi meu primeiro trabalho. Tinha postado um livro chamado "Abra os Meus Olhos" e ele ficou sete meses na plataforma, eu me frustrei e tirei de lá. Eu vi que era difícil e não tive paciência de esperar o retorno, então desisti da história. Me arrependo, e aconselho a quem quiser começar, quem tiver realmente esse sonho de escrever, que persista, é o mais importante. E leia MUITO! Leia tanto quanto puder e estude muito. Seja gentil, simples, humilde e agradeça a cada simples voto, a cada visualização. Cada pequena coisa é importante. Temos cada vez mais pessoas publicando livros, precisamos ser gratos que alguém parou para ler o que escrevemos.

Chá das Seis: Como escritora, tem alguma rotina, uma mania ou ritual antes de começar a escrever?

Nana: Escuto uma playlist inteira de músicas e fico trancada no quarto. Depois escrevo de madrugada, só consigo escrever esse horário. A escrita flui que é uma beleza (risos).

Chá das Seis: Qual sua opinião sobre o mercado literário nacional?

Nana: Eu sou bem nova nesse meio, então não sei bem o que pensar. Antes só comprava livros, agora que os escrevo e tenho visto mais de perto, as vezes tenho a impressão que estamos avançando. Mesmo assim ainda falta muita oportunidade. Eles precisam investir mais. No Wattpad por exemplo, que é o que mais vejo, tem muito talento a ser explorado só esperando um chance.

Chá das Seis: Será que em breve teríamos algum livro seu ambientado no Brasil?

Nana: Siiiiim! Minha duologia Sublime. A história de Mari Louise, uma atriz pornô e dois homens. E a história de uma ex-bailarina, e agora dançarina que tem esclerose múltipla. Já estou escrevendo e super ansiosa pra saber o que minhas leitoras vão achar.

Chá das Seis: O que seus leitores podem esperar para 2017?

Nana: Eu tenho tantos novos projetos, tanta coisa que quero fazer. Mas por enquanto vou adiantar apenas que "O Monstro Rendido" começa logo logo, e "Sublime Fascínio" também será postada. Talvez "O Monstro em Mim" vá para a Amazon, não tenho certeza. Ainda é muito cedo.