White Eyes Wide Open

13/12/2016

Por Diane Bergher

White Eyes Wide Open foi um livro que me surpreendeu por diversas razões. A primeira delas foi o fato de acabar com um estranho preconceito que me afastava dos títulos em inglês. Ok! Confesso, sinto preguiça em raciocinar em inglês. No entanto, depois de White Eyes Wilde Open, nunca mais me deixarei levar por essa preguiça intelectual. Que Natália Chimenez é uma autora talentosa, isso já me era sabido. Natália tem escrita leve e criativa, sem mencionar o fato de que consegue com maestria trabalhar e dosar as cenas de suspense. Sou extremamente detalhista, o que me dá o privilégio de descobrir de antemão o que vai acontecer no próximo capítulo. Eu sei, isso é um tanto chato, pois acaba com o prazer da leitura em alguns momentos. Para minha surpresa, White Eyes Wide Open sapateou na minha cara, deixando-me de boca aberta e sem conseguir reunir sequer uma suposição. A suposta morte de Alice, seguida do desespero de James em perder a mulher amada, deixou-me à beira de uma apoplexia nervosa. O livro me lembrou 50 Tons de Cinza, mas acredite, não tem nada, nenhuma vírgula em comum com o best seller de E. L. James. As inclinações BDSM são tratadas com respeito a sua realidade. O protagonista não é atormentado ou traumatizado como Grey e, ao contrário, tenta se libertar do poder de uma sociedade secreta. A personagem principal, não é tímida ou ingênua como a Anastacia, ao contrário é inteligente, atrevida e sagaz. As cenas hots combinadas com uma boa dose de suspense e mistério fazem seu estômago se contorcer de tensão e seus neurônios pedirem uma folga. Então, ficaram curiosos? White Eyes Wide Open está disponível no Wattpad e completo. Não perca tempo!